A alimentação pode estar diretamente relacionada com a libido

Junho chegou e com ele o clima de amor e romance fica no ar. E não há como falar de amor e não falar de sexo, não é mesmo? Não há dúvidas que sexo é bom, mas o que muitas pessoas não sabem é que além de prazerosa, a relação sexual é saudável. Há uma infinidade de benefícios para o corpo como fortalecimento dos ossos e do sistema imunológico, melhora na qualidade do sono, redução do estresse além de alívio de dores no corpo e até queima de calorias.

Mas agora você também pode estar se perguntando: por que uma nutricionista está falando sobre este assunto?

Porque a alimentação pode estar diretamente relacionada com a libido!

Libido, pela definição literal do dicionário é a procura instintiva do prazer sexual. Já a definição da psicanálise define como a energia que está na base das transformações da pulsão sexual; energia vital, de acordo com as teorias de Freud. Em suma, libido é o desejo sexual que sentimos a partir de algum estímulo, seja visual, auditivo ou olfativo. É cientificamente comprovado, alguns alimentos são conceituados “afrodisíacos”, por também serem capazes de estimular a libido.

Os alimentos conceituados como “afrodisíacos” podem ser capazes de estimular a libido por meio do aroma, sabor ou por provocarem reações hormonais que favorecem sensações de prazer. Alguns nutrientes presentes nestes alimentos dão mais energia, melhoram a potência sexual e aguçam os sentidos. Já os alimentos que aumentam a temperatura corporal, chamados termogênicos, também podem servir para aumentar a libido.

Agora tenho certeza que você está curioso para saber quais são estes alimentos. Então vamos conhecer alguns deles e as reações que provocam no corpo:

Amendoim: altamente energético, contém grande quantidade de vitamina B3, que colabora para a vasodilatação sanguínea, por isso é relacionado ao aumento de libido e do apetite sexual.

Banana:  com seu alto teor de potássio e vitamina B, a fruta ajuda na formação de hormônios sexuais.

Canela: estimula a ação hormonal e a circulação de sangue nos órgãos sexuais.

Chocolate: aumenta a produção de seratonina, hormônio que produz a sensação de prazer e bem-estar.

Manjericão: é fortificante dos órgãos sexuais.

Morango: além de estar tradicionalmente presente nos rituais de sedução, o morango libera a adrenalina do corpo.

Oleaginosas: castanhas, nozes, amêndoas e pistaches favorecem a circulação sanguínea, aumentam a lubrificação feminina e prolongam a ereção masculina.

Ostras: as ostras frescas também são tradicionalmente conhecidas como afrodisíacas. Isso se deve ao zinco, que está relacionado à produção de testosterona. A ingestão de ostras aumenta a produção, tanto dos espermatozóides e da testosterona (hormônio decisivo na libido), como da secreção lubrificante vaginal, estimulando a libido.

Pimenta: aumenta a frequência cardíaca e provoca uma série de reação no corpo semelhante a um orgasmo.

Salmão: rico em ômega 3, favorece à circulação sanguínea e aumenta a disposição física.

Vinho tinto:  aumenta a concentração de hormônios na corrente sanguínea, principalmente a testosterona, grande influenciadora do desejo sexual e presente no organismo de homens e mulheres.

É uma lista rica de alimentos que você pode incluir no jantar especial do Dia dos Namorados. E não somente nesta data especial, mas no seu dia a dia. A alimentação influencia todos os campos da nossa vida e com a libido não seria diferente. Mas neste caso lembre-se a mente é o nosso afrodisíaco mais eficaz.